Voltar para Artigos


logo

 © 19 de janeiro 2018 Revive Israel Ministries

Três Princípios de Liderança Bíblica de 1 Pedro 5

Ariel Blumenthal

SAND

#1 Não por obrigação, mas de livre vontade, como Deus quer… (1 Pedro 5.2a)

Em João 21.15-17, o Messias ressurreto ordenou Pedro 3 vezes: “Cuide dos meus cordeiros... pastoreie as minhas ovelhas... cuide das minhas ovelhas”. Pedro era um homem ousado e forte, destinado a ser um grande líder do povo de Deus. Em sua própria força, ele poderia ter aceitado essas ordens de Yeshua, “por obrigação”. Mas Yeshua sabia que Pedro (ou qualquer outra pessoa) não conseguiria com sua própria força liderar como ele liderava, “como Deus quer”, ou de acordo com a vontade de Deus. Pedro poderia começar com muita força e entusiasmo, mas no final sempre falharia. É por isso que, em João 21, antes de cada uma das três ordens, Yeshua fez a pergunta retórica: “Pedro, você me ama?”

É exatamente igual com cada um de nós, líderes. Se prestarmos atenção, o Espírito Santo está constantemente fazendo a mesma pergunta para nós: “Você está fazendo isso por obrigação? Ou porque ama a Deus?” “Se você me ama e fica bem pertinho de mim, você conseguirá liderar com meu coração e minha sabedoria... Mas, senão, bem, boa sorte!!”

#2 Não por ganância, mas com entusiasmo… (1 Pedro 5.2b)

Todos nós precisamos de sustento, precisamos de recursos para a família, alimentos, roupas, talvez um carro e assim por diante. Não há nada de errado em líderes de uma igreja receberem um salário pelo tempo e serviço que dedicam. Assim como ocorre em qualquer contexto de trabalho, os que têm mais autoridade e responsabilidade também merecem receber remuneração maior. No entanto, se quisermos ser líderes verdadeiros, à semelhança de Yeshua, o desejo ou necessidade de dinheiro (e cada vez mais dinheiro!) nunca deve ser a fonte da nossa motivação.

Em 1 Coríntios 9, o apóstolo Paulo testifica: “Se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois sobre mim pesa essa obrigação; porque ai de mim se não pregar o evangelho!” (v.16). Todos nós, que estivermos em alguma função de liderança na igreja, devemos ter esta mesma atitude: “Estou fazendo isso porque Deus me chamou, me deu este dom, é a sua vontade para mim... Ai de mim, se eu não o fizer! Não me importo se estou sendo pago, nem qual o valor. Não estou fazendo isso como se fosse um emprego qualquer!”

O mesmo vale para todos nós, sejamos pais ou patrões – precisamos saber que toda autoridade é um dom de Deus (Rm 13.1) e é algo que devemos fazer com entusiasmo, para a glória dele – não por dinheiro ou posição!

#3 Não como dominadores… mas como exemplos para o rebanho. (1 Pedro 5.3)

Antes de me tornar pai, fiz um curso para pais com um casal pastoral aqui em Jerusalém. Sete anos depois, lembro-me de uma coisa com muita clareza: “seus filhos farão o que você faz, não o que você os manda fazer!” Este é um dos princípios mais simples e mais universais de todos os princípios de liderança: lidere com seu exemplo.

Em virtude de seu poder e autoridade, muitos já conseguiram governar “ditando” ordens (sendo um ditador!) aos outros. Entretanto, seu reinado e influência geralmente têm duração curta; assim que o líder ditatorial morre, toda a estrutura desmorona. Por outro lado, quando lideramos “de baixo” e não “de cima”, pelo exemplo de obediência e santidade na nossa vida, conseguimos produzir frutos permanentes nos outros que podem continuar a influenciar novas gerações, muito tempo depois que já saímos de cena.

Em 1 Coríntios 4, do versículo 9 em diante, Paulo descreve os apóstolos como os que estão “no fim da fila”; não os famosos e proeminentes nos primeiros lugares do desfile, mas aqueles que nem são conhecidos por nome, condenados à morte, fracos, sem honra, etc. Os maiores líderes geralmente são bem desconhecidos e lideram muitos sem alarde, somente com seu exemplo humilde. Yeshua disse: “Aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração... Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve” (Mt 11.29,30).    


Reacendendo a Chama

Cody Archer

Como Podemos reacender a chama por Deus e voltar ao nosso primeiro amor?

ASSISTA!

Legendas disponíveis em dinamarquês, holandês, inglês, francês, coreano, polonês e português!


Três maneiras de orar pelo Irã

Brad Long

Extraído de Discerning the Times (Discernindo os tempos)

flag

1. Continue orando para que uma grande onda do Espírito Santo no Irã leve muçulmanos à fé em Jesus Cristo.

Acredito que a inquietação no Irã reflete a exposição da opressão e das mentiras da teocracia islâmica. Pode bem ser que Deus tenha enviado uma onda do Espírito Santo a fim de levar o povo iraniano à fé em Jesus Cristo.

2. Continue orando para que as maldições de morte proferidas contra os Estados Unidos e Israel sejam quebradas e transformadas na bênção de conhecer vida em Jesus Cristo.

Há anos, o Senhor nos leva a orar para que aqueles que gritam as maldições “Morte à América” e “Morte a Israel” sejam impedidos.

O Senhor prometeu a Abraão em Gênesis 12.3: “Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra”.

Baseado nessa promessa, podemos orar para que o povo do Irã seja abençoado novamente à medida que começarem a abençoar, ao invés de amaldiçoar, a Israel e ao povo judeu.

3. Ore para que Deus use as palavras proferidas por Donald Trump em seu discurso para as Nações Unidas para libertar os cativos no Irã e estabelecer uma ordem governamental justa e livre.

A inquietação no Irã é uma confirmação admirável de que Deus está de fato operando por meio das palavras de Trump. Nosso papel como intercessores é orar para que suas palavras proféticas moldem a realidade.

Podemos orar para que as palavras do presidente Trump, que lançaram uma visão para o Irã, se tornem coerentes com os propósitos do Pai no mundo. Podemos pedir a Deus para operar por meio delas.


Voltar