Voltar para Artigos


logo

© 9 de setembro 2016 Revive Israel Ministries

A Reconciliação do Mundo no Fim dos Tempos

Ariel Blumenthal

A Bíblia tem muito a dizer sobre a ressurreição dos mortos — tanto a de Yeshua como a nossa no fim desta era. Trazer os mortos à vida em plena glória é algo que toda a criação anseia ver (Rm 8.18-23). Ganharemos vida num corpo de ressurreição que é muito diferente deste que temos hoje, da mesma forma que uma planta de trigo já madura é muito mais “gloriosa” que um simples grão de trigo. Esse novo corpo celestial é incorruptível, glorioso, poderoso e espiritual. Yeshua é ele mesmo a ressurreição, ele é “as primícias” de Deus na ressurreição dos mortos (Jo 11.25; 1 Co 15.23-44).

O que poderia ser comparado a essa incrível esperança, esse poder maravilhoso que está no centro da nossa fé? O que significaria dizer que algo de fato é como a ressurreição dos mortos? Na verdade, há um lugar nas Escrituras onde essa comparação é feita, ao descrever a restauração do Evangelho da fé entre o povo judeu em Romanos 11.15: “qual será a sua admissão, senão a vida dentre os mortos?”

Vida Dentre os Mortos

Em Romanos 11.12 e 11.15 o apóstolo Paulo diz essencialmente a mesma coisa de duas maneiras diferentes: a rejeição de Yeshua pela maioria dos judeus no primeiro século é descrita como “transgressão”, “tropeço” e “rejeição”. Contudo, no mistério do plano de Deus, por causa da sua aliança de fidelidade, até mesmo esse terrível endurecimento e juízo sobre Israel resulta em “reconciliação” e “riquezas” incríveis para as nações (gentios). E então, quando Paulo olha dentro de um túnel do tempo profético em direção ao fim desta era, prevendo o tempo da restauração de Israel e sua “aceitação”, ele declara que isso só pode estar sinalizando um período de “quanto mais” riquezas e reconciliação para o mundo, o que é semelhante – em seu drama e poder impressionantes – à “vida dentre os mortos”, ou seja, um tipo de ressurreição! 

Amados, isso é exatamente o que temos experimentado. À medida que Israel — a nação judaica — tem sido gradualmente restaurada ao longo dos últimos 130 anos, tanto física como espiritualmente por meio do Evangelho de Yeshua, temos testemunhado a maior expansão do cristianismo ao redor do mundo desde o primeiro século. Missões, crescimento da Igreja, traduções da Bíblia e vários movimentos de oração têm expandido numa taxa exponencial. Tudo isso representa o quanto mais dos versos 12 e 15. 

Estamos Vivendo num Tempo Incrível da Restauração!

Ao longo dos últimos anos no movimento Gathering, temos experimentado essa graça especial para a “reconciliação do mundo”. Assim como Asher Intrater escreveu nos últimos dois informativos (Parte 1, Parte 2), isso chegou a influenciar questões muito profundas na dinâmica do relacionamento de 4 mil anos da família Abraâmica no Oriente Médio. Na semana passada, ele e eu e várias outras pessoas de Israel fomos para Londres, passar três dias em adoração, oração e comunhão com muitos líderes, especialmente do Egito. Nosso foco não era reconciliação e, sim, reunirmo-nos para adorar ao Rei. Mas, ao fazermos isso, o Espírito se moveu de forma poderosa, especialmente entre os jovens, para nos levar a um lugar ainda mais profundo de reconciliação e unidade e trazer um senso de destino compartilhado (Ef 3.6). 

Apenas alguns anos atrás, se você me dissesse que teríamos essas reuniões com tantos líderes egípcios e que, juntos, o Espírito Santo nos conduziria a remover profeticamente fortalezas que têm atormentado nossos povos e regiões por milhares de anos, desde o tempo de Abraão, Sara, Agar, Ismael e Isaque – bem… Eu diria que você estava louco! Mas está acontecendo! Estamos vivendo neste tempo maravilhoso de restauração (e reconciliação!) de todas as coisas sobre as quais os santos profetas falaram (Atos 3.21), assim como a promessa de Isaías para Egito, Assíria e Israel, que começa a ser cumprida através de um remanescente de cada nação (Isaías 19.23-25).

Tudo isso é um tipo de “aquecimento” para o próximo Global Gathering (Ajuntamento Global) que acontecerá em Jerusalém — de 7 a 11 de novembro. Estamos com expectativa de ver vários milhares do Extremo Oriente, muitas centenas do Oriente Médio, e muito, muito mais vindos do mundo todo para se unirem a nós na Arena de Jerusalém. Assim como em todo ajuntamento, nosso foco será adorá-lo alegremente com músicas, danças e proclamações. Como exatamente o Espírito Santo nos guiará? Não sabemos, mas estamos cheios de expectativa, e o convidamos a vir e se juntar a nós. Para mais informações sobre o próximo Gathering (Ajuntamento), clique AQUI!


Espírito de Santidade

Neste ensino, Asher Intrater mostra como podemos crescer em santidade por meio da obra do Espírito e ele nos convida a viver sem baixar o padrão. Assista em inglês, clique AQUI!


Uma Visão Geral das Festas de Outono

Por favor, junte-se a nós neste mês para vários eventos chave. 

Um grupo de jovens em Israel e ao redor do mundo começou um período de jejum e intercessão espontâneo de 40 dias, desde o início do mês de Elul (2 de setembro) até o Dia da Expiação (11 de outubro). O tema da oração é “voltando os corações dos pais aos filhos” (Malaquias 4.6).

Durante esse período, também acontecerá uma assembleia especial para celebrar a Festa das Trombetas, no sábado, dia 1 de outubro. O evento será conduzido em hebraico e em árabe com tradução para o inglês em fones de ouvido. Isso combina tanto o sentido bíblico de tocar o shofar, como a importância da reconciliação entre cristãos árabes e judeus messiânicos em Israel no fim dos tempos.

No Dia da Expiação mesmo, dia 11 de outubro, realizaremos nosso dia anual de jejum, oração e ensino com nossas congregações irmãs em Jerusalém e Tel Aviv.


Conheça a Equipe: Roni

Esta semana, conheça o membro da equipe Revive Israel e pastor de Beit Yeshua: Roni Rejuwan 

Legendas disponíveis em chinês, dinamarquês, francês, polonês, português e espanhol. Para assistir, clique AQUI!


Voltar