Voltar para Artigos


logo

© 29 de janeiro 2016 Revive Israel Ministries

Leão de Judá

Asher Intrater

Yeshua (Jesus) é descrito como o leão da tribo de Judá. A imagem do leão é de força e vitória. É a imagem do Messias como um rei conquistador. 

Apocalipse 5.5: “Eis que o Leão da tribo de Judá, a raiz de Davi, venceu para abrir o livro e romper os sete selos.”

A imagem do leão também liga Yeshua à sua linhagem que vem de Judá e Davi. Davi é o arquétipo de um rei vitorioso e conquistador. Yeshua era descendente de Davi que, por sua vez, era descendente de Judá. Yeshua carrega a autoridade de rei sobre a terra por meio das alianças de Deus com Judá e Davi.

A descrição do Messias como um leão de Judá no Apocalipse é uma referência à bênção de Judá em Gênesis.

Gênesis 49.9-10: “Judá é um leãozinho... Ele se encurva e se deita como um leão... O cetro não se arredará de Judá, nem o bastão de autoridade dentre seus pés, até que venha aquele a quem pertence; e a ele obedecerão os povos.”

A figura do Messias vindo de Judá como um rei conquistador é profetizada no primeiro livro da Bíblia e no último. É um tema que percorre a Bíblia do início ao fim. O tema do “Rei Leão” Judaico dá consistência a toda a narrativa bíblica.

A palavra para “obediência” no verso 10 é קהת ou “Kohath” da mesma raiz do nome Coate, o filho de Levi e o avô de Moisés. Então, até mesmo o nome da família que exercia o sacerdócio nos lembra do Rei Messias governando os povos da terra.  

A “obediência dos povos” é uma indicação profética sobre a futura propagação do evangelho para trazer a “obediência da fé de todos os povos” (Romanos 1.5; 15.18). O fato de que na bênção de Judá, lá atrás, no livro de Gênesis, há uma mênção aos “povos” obedecendo a Deus e ao seu rei é um testemunho surpreendente do plano projetado por Deus desde o princípio.
Ao mesmo tempo, Yeshua é eternamente descrito não apenas como um leão que ruge, mas como um cordeiro levado ao matadouro (Ap. 5.6). Essa figura dupla do Messias, como servo sofredor e como conquistador, é repetida por todas as Escrituras. Yeshua é tanto o filho de Deus quanto o descendente de Davi (Romanos 1.3-4). Ele é o rei de Israel e o cabeça da Igreja (João 12.13; Efésios 1.23).


“Eu Não Me Lembro”

Excerto de Francis Frangipane

Deixe-me compartilhar uma experiência com você. Certo homem de Deus havia recebido o dom de revelação sobre a vida das pessoas. Durante um culto à noite, ele ministrou a um pastor presbiteriano e a sua esposa. A palavra de conhecimento foi excepcionalmente precisa aquela noite…

O profeta falou ao marido, revelando o seu passado, presente e uma visão sobre o seu futuro. Então o homem de Deus se voltou para a esposa do ministro. À medida que começou a falar sobre o passado dela, de repente, ele parou e disse: “Houve um pecado muito sério no seu passado”. A mulher, assombrada por seu maior medo, ficou pálida e fechou os seus olhos. A congregação ficou em silêncio, suspensa na ponta dos assentos.

O profeta continuou: “E perguntei ao Senhor: ‘Qual foi o pecado que ela cometeu?’ E o Senhor respondeu: ‘Não me lembro!’”

O Senhor tem sido fiel à promessa da sua aliança: “dos teus pecados não me lembro” (Is 43.25). Embora a esposa do pastor já tivesse pedido muitas vezes para ser limpa, ela ainda não acreditava na profundidade do perdão de Deus. Cristo havia colocado o seu pecado no mar do esquecimento. Ele o removeu “quanto o oriente está longe do ocidente” (Sl 103.12).
Oh, quanta carga nós carregamos, quanta culpa e limitações nos cercam porque não aceitamos o perdão total e perfeito de Deus. Em Isaías, lemos: “Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim, e dos teus pecados não me lembro.” (Is 43.25).


Parceria Predestinada

Nesta mensagem, Asher ensina sobre o padrão predestinado de Deus de unir judeus e gentios, as nações e Israel com o objetivo de trazer o seu Reino para a terra. Para assistir em inglês, clique AQUI!


O Espírito e o Vento

Chaim Zingerman

A natureza do Espírito é movimento, assim como essa também é a natureza do vento. Yeshua diz que também é assim para os cristãos; 

“O vento sopra onde quer, e ouves a sua voz; mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito.” (João 3.5-8)

Quando o Espírito nos enche, é como o vento enchendo a vela de um barco. Somos levados pelo Espírito, movidos poderosamente pelo Espírito, impulsionados pelo Espírito. Mas temos que nos posicionar na direção certa para pegar o vento do Espírito. Se um barco está contra o vento, ele não se moverá para a frente. Na verdade, ele nem se moverá de forma alguma. Isso se chama estar “locked in irons” (travado por ferros). Mas, se o cristão traçar o seu caminho para pegar o vento, ele será lançado para frente com uma força poderosa. E descobrirá que está sendo carregado pelo poder do Espírito. “Nem por força, nem por poder, mas pelo seu Espírito” será a nossa experiência.


Voltar