Voltar para Artigos


logo

©10 de abril 2015 Revive Israel Ministries

Oração e Bênção de Jó

Asher Intrater

Parte da lógica de Deus é que ele nos abençoará quando orarmos para que outros sejam abençoados. Jó suportou grande sofrimento. Parte desse sofrimento era porque seus “amigos” colocaram nele a culpa do seu sofrimento. A acusação deles parecia muito justa, mas era, na verdade, apenas hipocrisia. Deus lhes disse que se não pedissem a Jó para orar por eles, ele os puniria.

Jó 42.8: “... ide ao meu servo Jó... O meu servo Jó orará por vós; porque dele aceitarei a intercessão, para que eu não vos trate segundo a vossa loucura.”

E, no entanto, ao mesmo tempo, Deus só abençoou Jó depois que ele orou por seus amigos. Ele tinha que perdoar aqueles que o haviam acusado. Jó tinha que lhes dar a graça que eles não quiseram lhe dar. A oração de Jó para que seus amigos fossem abençoados era a chave para a sua própria restauração.

Jó 42.10: “Mudou o SENHOR a sorte de Jó, quando este orava pelos seus amigos; e o SENHOR deu-lhe o dobro de tudo o que antes possuíra.”  

Quando Jó orou por seus amigos, a punição deles foi removida. E, quando orou por eles, suas próprias bênçãos foram restauradas. Na verdade, ele foi abençoado até mesmo com o dobro do que possuía antes. Sua própria bênção e restauração foram condicionadas à liberação de perdão e bênção para aqueles que não tiveram misericórdia dele.

Numa situação semelhante, Deus disse a Abimeleque que Abraão tinha que orar para que ele fosse curado, embora Abimeleque fosse inocente (Gênesis 20.7, 17). Nós devemos orar uns pelos outros para que sejamos perdoados e curados (Tiago 5.14-16). Yeshua nos ensinou a abençoar até aqueles que nos perseguem (Mateus 5.44), a dar para poder receber (Lucas 6.38).

Talvez você esteja numa situação hoje em que a chave para que seja abençoado é pedir perdão a alguém ou orar para que alguém seja perdoado e abençoado.


Reagindo ao Rei dos Judeus

Nesta mensagem, Asher foca em cinco grupos de pessoas e suas diferentes reações às proclamações sobre Yeshua ser o Rei dos Judeus. Ele relata como temos visto reações semelhantes ainda hoje em Israel e ao redor do mundo. Para assistir em inglês, clique AQUI!


Oração Urgente pela Coalizão

A formação do governo israelense acontece em dois estágios: primeiro a eleição e depois a coalizão. Embora tenhamos tido bastante apoio em oração na primeira parte, para esse segundo estágio, o apoio está lamentavelmente em falta. O governo deveria ser ampliado? Quanto controle os ultraortodoxos deveriam ter nos comitês de finanças e no ministério do interior? A quem devem ser atribuídos os principais cargos do gabinete? 

Essas questões são importantes e a necessidade de mais oração é urgente.


O A.S.I.M. de Deus

David Rudolph

Em Isaías 6.1-8, o profeta Isaías encontra a esfera celestial da glória de Deus e, a partir disso, mostra uma progressão de revelação e correspondência que é válida para nós também, até hoje.  
Adoração – Santidade – Intercessão – Missões

A adoração nos eleva para o encontro com a santidade de Deus – que, por sua vez, muda nossa perspectiva, capacitando-nos a enxergar a partir do ponto de vista celestial e entrar em intercessão junto com Yeshua. Compartilhar a perspectiva celestial e sentir o encargo do Senhor em intercessão abre nossos ouvidos para ouvir o clamor do Espírito: “A quem enviarei e quem irá por nós?”. A combinação de adoração, santidade e intercessão deve nos levar a corresponder ao chamado para missões!

Adoração:
1 No ano da morte do rei Uzias, eu vi o Senhor assentado sobre um alto e sublime trono, e as abas de suas vestes enchiam o templo. 2 Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas: com duas cobria o rosto, com duas cobria os seus pés e com duas voava. 

Em meio à sua dor e crise por causa da morte do Rei Uzias, (o velho homem) Isaías eleva seu olhar para ver o Senhor, o Rei do Céu e entra na adoração que ocorre continuamente ao redor do trono de Deus.

Santidade:
3 E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, santo, santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória. 4 As bases do limiar se moveram à voz do que clamava, e a casa se encheu de fumaça.

No lugar de adoração, Isaías encontra a santidade de Deus e se torna consciente de sua impureza e da necessidade do toque purificador do fogo da presença de Deus.  

Intercessão:
5 Então, disse eu: ai de mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros, habito no meio de um povo de impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei, o SENHOR dos Exércitos! 6 Então, um dos serafins voou para mim, trazendo na mão uma brasa viva, que tirara do altar com uma tenaz; 7 com a brasa tocou a minha boca e disse: Eis que ela tocou os teus lábios; a tua iniquidade foi tirada, e perdoado, o teu pecado.

Ao ser limpo pelo fogo e ter seus lábios purificados, o profeta entra em intercessão e começa a sentir o encargo do Senhor.

Missões:
8 Depois disto, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim 9 Então, disse ele: Vai e dize a este povo: …

Receber o encargo do Senhor em intercessão nos levará ao lugar onde podemos ouvir o clamor do seu coração para ir e representá-lo nas nações e diante dos povos. Não conseguiremos orar por muito tempo antes de sermos desafiados a fazer parte da resposta às nossas próprias orações e ser enviados como mensageiros ao mundo.


Voltar