Voltar para Artigos


logo

©27 de fevereiro 2015 Revive Israel Ministries

Cinco Maneiras em que o Sofrimento Traz Vida

Ron Cantor

Um dos meus versos favoritos é Filipenses 3.10. Aqui, Paulo está na prisão, contudo, ao invés de pedir a Deus que o liberte de lá, ele diz:

...para o conhecer, e o poder da sua ressurreição, e a comunhão dos seus sofrimentos, conformando-me com ele na sua morte.

A maioria das pessoas lê a primeira parte desse versículo e para. Mas, para receber o poder da ressurreição, primeiro você precisa morrer. Ninguém jamais ressuscitou dos mortos sem que antes tivesse morrido!

Nós abraçamos essa morte — conformando-nos com seus sofrimentos — através de sofrer pelo evangelho. Aqui estão cinco benefícios espirituais do sofrimento:

Com o Sofrimento Vem a Intimidade

Há um nível de intimidade com Yeshua que só pode ser alcançado por meio do sofrimento. Paulo iguala conhecer o Messias com participar no seu sofrimento.

Yeshua nos Convida a Sofrer com Ele

Quando passei por uma situação especialmente dolorosa muitos anos atrás – tão dolorosa que pensei que não teria mais ministério – ouvi a voz do Senhor. Eu sabia que podia me defender, e muitos me encorajaram a fazer isso. Porém a palavra de Yeshua para mim era: “Estou convidando você a morrer comigo”. No instante em que disse sim, a paz entrou na minha alma e eu soube que ele me justificaria. E foi o que ele fez em apenas poucos meses. Eu teria causado um curto-circuito em sua intervenção, caso tivesse me defendido.

O Sofrimento Traz Maturidade

Na Faculdade Bíblica, um jovem “profeta” veio ministrar para nós. Ele tinha 18 anos e era claramente ungido, mas nosso diretor nos advertiu que apenas os anos trazem sabedoria. Ele foi exposto como homossexual poucos anos depois. Quando José era adolescente, ele tinha um dom profético, mas era muito imaturo para usá-lo. Ao ficar se gabando para seus irmãos, ele acabou virando escravo – e mais tarde um prisioneiro. Depois de muitos anos e provações, ele finalmente estava maduro o suficiente para cumprir o seu chamado. O seu sofrimento o preparou. Em poucas horas, ele se tornou o homem mais poderoso da terra.

Quanto Maior o Chamado, Maior o Sofrimento.

O Rei Davi recebeu o chamado de ser Rei quando era um garoto. E, por algum tempo, as coisas caminharam como se isso fosse acontecer a qualquer minuto: foi convidado para tocar harpa para Saul, matou Golias, tornou-se um general e até recebeu uma promessa do herdeiro legítimo, Jônatas, de que seria rei em seu lugar. Então, de repente, o rei deseja matá-lo. Por mais de uma década, ele sofreu fugindo de Saul. Mas, no fim, tudo isso serviu para prepará-lo. O Davi mais velho e mais maduro teve duas chances de matar Saul, mas não o fez. Ele havia crescido e pouco depois se tornou rei.

A Morte Produz Vida

Paulo diz em 1 Co. 4.10-12 que quando abraçamos a morte pelo Evangelho, vida é gerada naqueles que nos ouvem. Todo o sofrimento que ele suportou pelo Evangelho liberou uma poderosa unção em seus esforços para pregar as Boas Novas. Nós moramos um ano na Ucrânia pouco depois da revolução. Tivemos que enfrentar um apartamento cheio de pulgas, um banheiro que jogava o esgoto para o nosso chão toda noite e ameaças da Máfia. Foi difícil! Mas, no fim, deixamos ali uma nova congregação que tem prosperado até hoje.

Embora o sofrimento não seja divertido, simplesmente não tem outra maneira de sermos tudo aquilo que Deus nos chamou para ser. 


O Temor de Deus e Submissão Mútua

Asher Intrater

Existem muitas coisas belas e penetrantes escritas a respeito do temor de Deus na Bíblia. Tememos a Deus porque ele pune o mal, até mesmo eternamente (Lucas 12.5). O temor de Deus é puro e dura para sempre (Salmos 19.9). O temor de Deus produz milagres e curas (Atos 2.43; 5.11-12). Quando tememos a Deus, não temos medo de mais nada (Lucas 12.4). Pelo temor de Deus, odiamos o mal (Provérbios 8.13). Através do temor de Deus, podemos adorar ao Senhor (Apocalipse 15.4).

Tudo isso parece bom e muito espiritual. Mas como é que o temor de Deus fica na aplicação prática? Como saber se o praticamos ou não?

Efésios 5.21: “sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo”

O temor do Senhor entre nós resultará em nossa submissão uns aos outros. Se eu temo ao Senhor, não tenho vontade de ser orgulhoso ou rebelde. Quero dar ouvidos ao discernimento e correção dos outros para mim. E, para isso, preciso ser submisso aos outros. 

O mesmo se aplica aos outros. Eles também vão querer se submeter. Portanto, vamos querer nos submeter uns aos outros. Nosso temor de Deus se concretiza pela nossa submissão mútua. Essa é uma das provas de que o temor do Senhor existe entre nós. Se não há submissão mútua, provavelmente também não há temor do Senhor.


Suportando Provações

Nesta mensagem de áudio da congregação Ahavat Yeshua em Jerusalém, Asher fala sobre três provações/testes que todos nós devemos enfrentar e passar diante de Deus. Para ouvir em inglês, clique AQUI!


Voltar para artigos 2015