Voltar para Artigos


logo

©16 de janeiro 2015 Revive Israel Ministries

Ordem Apostólica

Dan Juster

A ordem apostólica tem dois significados; o primeiro é ordenar a vida congregacional (da igreja) de acordo com o ensinamento dos apóstolos do primeiro século, conforme é possível aplicar de forma razoável nos dias de hoje. E o segundo é ordenar nossas congregações sob líderes apostólicos que são escolhidos por Deus hoje e confirmados sobrenaturalmente como os supervisores-servos de congregações. Essa é uma questão do governo de Deus.

Biblicamente, os presbíteros em pluralidade devem liderar as congregações. Isso é visto claramente no livro de Atos onde diz que presbíteros eram designados por Paulo em cada igreja. É incrível quão pouca ênfase é dada a um pastor sênior. Eu creio que de fato deva existir um líder do grupo de presbíteros, mas um governo exercido por uma pluralidade de presbíteros para congregações locais é a ênfase do Novo Testamento. 

Estruturas de Prestação de Contas

De acordo com as Escrituras da Nova Aliança, congregações locais não devem ser independentes. À medida que as congregações se multiplicavam, elas iam se ligando a um presbitério da cidade que tinha responsabilidade sobre milhares de membros. As congregações também eram supervisionadas por apóstolos, que plantavam ou estabeleciam os fundamentos básicos, seja diretamente ou por pessoas que eles enviavam, como no caso de Timóteo. Vez após vez, Paulo exercia correção a congregações inteiras. E se uma delas rejeitasse a correção de Paulo? Ele só poderia confiar no poder sobrenatural para reforçar sua autoridade. Os presbíteros eram a autoridade local e deveriam fazer com que a ordem ou os padrões de Deus de retidão e bom governo fossem mantidos.

Nessa estrutura, o próprio apóstolo deveria prestar contas a outros líderes maduros. Um apóstolo sênior de uma rede deve se reportar a uma equipe sênior com ministros representando todos os cinco ministérios de Efésios 4.11. Ele pode ser confrontado se estiver em pecado – e até mesmo removido de sua posição ministerial.

Os membros também fazem parte da estrutura de prestação de contas da congregação. De acordo com Mateus 18.15, todos os membros podem fazer parte do processo de correção daqueles que estão em pecado. Gálatas 6.1-2 fala sobre membros corrigindo uns aos outros. Além disso, um presbítero pode ser corrigido pelo testemunho de dois ou três membros. Os membros podem apelar para o apóstolo e a equipe ministerial quando seus líderes estão em pecado e não se arrependem. 

Uma boa liderança envolve os membros da comunidade nos processos de ouvir as contribuições e buscar confirmação para as grandes decisões, bem como na prestação de contas moral dos líderes. A autoridade está nos presbíteros, porém, se forem sábios, construirão unidade com os membros.

Chamados para Capacitar

A capacitação dos membros é uma ênfase igualmente importante. Em Efésios 4, lemos que Deus concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres para o aperfeiçoamento dos santos para a obra do ministério. Uma congregação precisa do treinamento que vem de cada um dos cinco ministérios.

Embora não acreditemos que alguém possa acrescentar algo às Escrituras hoje, a função dos apóstolos na liderança e em estimular o crescimento e a expansão do Reino além da congregação local é crucial. As congregações, portanto, participam dos seus programas de treinamento, conferências e oportunidade de missões. A sua visão traz direção para várias congregações ligadas entre si.


Visão Geral: Livro de Ezequiel – Parte 1

Nesta primeira parte, Asher fala a respeito da importância de ver como todas as profecias da Nova Aliança sobre o fim dos tempos têm suas raízes na Velha Aliança. O livro de Ezequiel contém 14 capítulos cheios de profecias com detalhes específicos sobre o fim dos tempos com as quais deveríamos estar familiarizados. Para assistir em inglês, clique AQUI!


OS JUDEUS REJEITARAM JESUS – Verdadeiro ou Falso?

Elhanan Ben Avraham, condensado

O leitor comum responderia: verdadeiro. No entanto, isso levanta a pergunta: quem então aceitou Jesus? Os eventos do 1º século d.C. descritos nos evangelhos do Novo Testamento ocorreram no Estado judaico na terra de Israel. A “Palestina” não aparece em lugar algum nos textos do NT. A mensagem do anjo a José (Yosef) e Maria (Miriam) descreve a terra como “A Terra de Israel” (Mateus 2.20, 21). 

Pode-se argumentar que o evangelho de João parece fazer uma distinção entre “os judeus” e os seguidores de Yeshua, criando, assim, uma inimizade entre os “cristãos” e os “judeus”. Mas essa é uma leitura errada dos textos, pois a referência aos judeus em todos os casos é à liderança religiosa judaica em Jerusalém na província de Judá e não ao povo judeu como um todo. Em João 19.38-40, Nicodemos, um líder judeu e um discípulo secreto “pelo receio que tinha dos judeus”, traz especiarias para o corpo de Yeshua “como é de uso entre os judeus na preparação para o sepulcro.”

No livro de Atos, lemos que miríades (dezenas de milhares) de judeus passaram a crer no Messias, muitos dos quais eram fariseus, sacerdotes e escribas (Atos 21.20), incluindo Nicodemos e José de Arimateia. No Pentecostes (Shavuot), vemos milhares de judeus indo aos mikveh (pias batismais), a tradição judaica antiga de purificação, não se convertendo a outra religião. Mais tarde, vemos Paulo e Silas entrando em cidades gentílicas tais como Filipos onde as pessoas diziam: “esses homens são judeus” (Atos 16.20). 

Esses judeus não rejeitaram Yeshua, mas eram seus discípulos e os apóstolos que levaram o Evangelho aos gentios.


Notícias

Eleições Israelenses – O partido de Liberman está sob investigação; o partido Shas está dividido ao meio; o partido Kahlon acrescentou alguns novos candidatos; e o Lapid parece não ter encontrado ainda sua nova direção. O partido dos Trabalhadores tem mostrado um certo grau de unidade, mas ainda há desconfiança pelo histórico de Livni mudar de partidos frequentemente. O partido de Netanyahu pode sair fortalecido depois do recente ataque terrorista. O partido de Bennet fez uma declaração clara contra os casamentos homossexuais.

Terror Francês – Conforme informamos na semana passada, antes do ataque, a imigração francesa já havia crescido consideravelmente. Com o novo ataque, o medo dentro da comunidade judaica francesa se intensificou bastante. Apesar do enorme número de pessoas que participaram da demonstração, muitos israelenses ficaram chocados ao saber que a mídia europeia retratou o ataque como sendo à liberdade de expressão ao invés de um ataque pela Jihad islâmica.

Shai Sol – Jovem cantora messiânica, ela apareceu novamente na televisão com outro testemunho claro da sua fé que alcançou milhares de pessoas. Depois disso, ela foi excluída da rodada seguinte do programa de talentos. Por favor, ore por proteção, pois ela já recebeu ataques por causa do seu testemunho, e por graça e provisão, já que ela pretende prosseguir com seus planos de produzir um álbum original.


Voltar para artigos 2015