Voltar para Artigos


logo

©15 de agosto 2014 Revive Israel Ministries

“Não um Herói”

Asher Intrater

A unidade de comando da Divisão Givati separou-se em dois grupos para verificar se havia túneis de terroristas nas casas em Gaza durante o chamado “cessar fogo” na penúltima quinta-feira. Um deles era liderado pelo Capitão Benaya e o outro, por seu assistente, o Tenente Eitan. A unidade de Benaya entrou numa das casas e um grupo de terroristas do Hamas saiu por uma abertura de 1,5m de um poço oculto e matou a equipe de vanguarda de Benaya, com três soldados, a tiros. 

O grupo de Eitan estava a uns 300 metros de distância descansando. Eles ouviram os tiros e vieram correndo. Dois cadáveres foram removidos do caminho. Eitan percebeu que o seu comandante imediato estava morto, o que significava que agora ele estava no comando da unidade. Eitan (de 23 anos de idade!) chamou pelos “números de ferro” – uma chamada rápida para ver se alguém estava faltando. Dois minutos depois, ficou claro que Hadar Golding estava desaparecido. Eitan fez uma chamada, usando a “regra de Hannibal” – convocando todas as forças para procurar pelo soldado sequestrado.

Eitan viu marcas de sangue que iam até a entrada do poço. Era óbvio que Golding havia sido arrastado até o túnel. Eitan disse: “eu vou atrás dele”. Pelo rádio, oficiais dos próximos dois níveis de autoridade acima dele afirmaram que era muito perigoso. Ele se recusou a ceder. Obteve permissão especial do coronel responsável pela Divisão Givati. Ele começou a descer, mas percebeu que estava muito desajeitado. Tirou todo o seu equipamento, incluindo o capacete, ficando apenas com uma arma. Ordenou que dois outros soldados da sua equipe viessem atrás dele.

Eles desceram na escuridão total, com uma lanterna, apalpando o caminho por onde passavam. Seguiram os sinais de sangue. E continuaram por 100, 200, 300 metros. Eitan disse: “Isso está demorando demais”. Começou a correr dentro do túnel. Eles percorreram uma distância de mil metros até chegar à saída do poço — mas ela estava selada. Então retornaram e trouxeram de volta evidência suficiente para confirmar a morte de Golding. Por causa dessa evidência, esses soldados corajosos evitaram uma crise internacional de reféns e provavelmente salvaram milhares de vidas.

O tenente Eitan estava há 50 dias em atividade contínua. Os repórteres disseram a ele: “Você receberá uma medalha nacional de honra por isso”. Eitan, magro, tímido e de traços suaves, respondeu: “Eu não quero uma medalha. Não sou um herói. Eu apenas estava no lugar certo na hora certa. Qualquer um teria feito o mesmo. Esse é o espírito da nossa unidade; o espírito da IDF, o espírito do povo de Israel.”


Rumores de Guerra... e o Turismo Israelense

Ariel Blumenthal

Quando Yeshua ensinou a seus discípulos sobre o Fim dos Tempos (Mt 24.6; Mc 13.7), ele profetizou tanto sobre guerras de verdade, quanto de “rumores de guerra". Em nossa curta história aqui em Israel, embora tenhamos sofrido várias guerras genuínas e “operações” militares, os rumores de guerra estão sempre presentes. Durante esses dias, enquanto enfrentamos a operação que continua em Gaza, por toda a nossa volta, o Oriente Médio parece estar em chamas. A “Primavera Árabe” está mais parecida com um inverno longo e escuro agora. É claro que tudo isso tem um efeito negativo sobre uma parte importante da economia israelense – o turismo.

Já para este próximo verão e outono, muitos grupos de turistas cristãos cancelaram suas viagens. Existem muitos messiânicos locais envolvidos na indústria de turismo: empresas de turismo, hotéis, transporte, etc. Veja estes dois exemplos:  http://sareltours.com/new/
http://www.yadha8.co.il/en/

Gostaríamos de encorajar nossos leitores: se você está pensando em vir, não cancele! E se ainda não está planejando vir... venha! Os rumores de guerra estão sempre presentes, e se você estiver pensando: “talvez deveríamos ir quando as coisas se acalmarem e não houver mais rumores de guerra”, então pode ser que você nunca venha para Israel!


“Fim do Mundo” em 2040?

O Calendário Hebraico registra os números dos anos de acordo com o alfabeto. A última letra do alfabeto é a letra tav (valor = 400). Não há nenhum número depois de “tav”. Este ano é o “shin-ayin-dalet”. Portanto, vamos chegar ao fim deste ciclo de 800 anos daqui a 26 anos. O ano “tav-tav” corresponde ao ano civil de 2040. O próximo ciclo levaria mais 200 anos, terminando em 2240, que corresponderia ao 7º “milênio”.

Em 1892, um antigo escritor sionista, Elhanan Leib Lewinsky , escreveu um romance no qual ele era levado em sonhos até o ano “tav-tav” e via um estado judeu utópico na Terra de Israel.

É provável que o mundo ultraortodoxo chassídico (que está esperando pela vinda do messias) fique histérico com expectativas messiânicas – falsos messias, previsões do fim do mundo, temores de Gogue e Magogue / Armagedom – à medida que nos aproximamos desse ano. 

É provável também (caso o Messias demore), de forma paralela, que expectativas messiânicas extravagantes e intensas espalhem-se por todo o mundo cristão. E talvez isso seja acompanhado por filmes de ficção científica sobre o fim do mundo e Jihads mundiais de Califas islâmicos. Podemos esperar um crescendo e uma crise de expectativas messiânicas nessa época.


Pituach – Peruz – Peruk

As pessoas nos perguntam sobre como devem orar pela situação em Gaza. Creio que a resposta pode ser resumida em três palavras, representando a posição israelense nas negociações de paz que estão ocorrendo agora em Cairo:

  1. Pituach (Desenvolvimento) em troca de
  2. Peruz (Desarmamento) baseado em
  3. Peruk (Desmantelamento) de organizações terroristas

Nós gostaríamos de ver a paz em Gaza, incluindo desenvolvimento econômico, educação e bem-estar social. Israel só permitirá que isso ocorra se a região de Gaza for desarmada. Isso só acontecerá se o Hamas e as outras organizações terroristas forem desmantelados. Não é algo que está além das possibilidades. Aconteceu no Egito no ano passado. 

O Hamas é uma organização terrorista, assim como Al Qaeda, Boko Haram, ISIS, Jihad e Hezbollah. Ninguém consegue negociar com terroristas suicidas. Vamos orar por sabedoria para que os líderes do governo enxerguem essa lógica, e para que este plano peruk-peruz-pituach aconteça (se for da vontade de Deus).


Voltar para artigos 2014