Voltar para Artigos


logo

©22 de julho 2012 Revive Israel Ministries

Mandamentos Morais

Asher Intrater

Comportamento Moral é um componente essencial da mensagem do Evangelho. Devemos arrepender-nos de nossos atos pecaminosos. Devemos crer em Yeshua. Ele nos concede perdão dos pecados, mas, ao mesmo tempo, requer obediência. Devemos receber o Espírito Santo para nos conduzir a toda a justiça (Atos 2.38; 3.19; 5.32; 10.30-35).

Todos esses três elementos (arrependimento, Yeshua e o Espírito Santo) requerem comportamento moral. Há uma tendência universal de evitar o verdadeiro arrependimento. O mundo religioso substitui arrependimento por ritualismo. O mundo secular muda absolutos morais para relativismo moral.

Padrões morais absolutos foram definidos pelos Dez Mandamentos, especialmente as proibições fundamentais de idolatria, homicídio, adultério, furto e mentira. Os profetas antigos de Israel conclamavam o povo ao arrependimento com base nessas leis.

“Furtais e matais, cometeis adultério e jurais falsamente, queimais incenso a Baal...” (Jeremias 7.9).
Perguntaram a Yeshua o que era necessário para receber vida eterna. Ele também foi buscar nos Dez Mandamentos o primeiro passo.
“Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos... Não matarás, não adulterarás, não furtarás, não dirás falso testemunho; honra a teu pai e a tua mãe...” (Mateus 19.17-19).
Arrependimento é uma exigência da fé.

João discutiu a questão do porquê algumas pessoas creem e outras, não. Sua resposta foi profunda: a capacidade de crer depende de boas ações e consciência moral. Sem boas ações, não se consegue chegar à fé. Com boas ações, é possível.
“Os homens amaram mais as trevas do que a luz porque as suas obras eram más. Pois todo aquele que pratica o mal aborrece a luz e não se chega para a luz, a fim de não serem arguidas as suas obras. Quem pratica a verdade aproxima-se da luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas...” (João 3.19-21).
Comportamento moral e fé em Yeshua não podem ser desvinculados. Todos nós pecamos. Arrependimento do pecado é o primeiro passo da fé. Quando um cristão me diz que não é obrigado a guardar os mandamentos, eu pergunto na hora: “E quais mandamentos você estava pretendendo não guardar? Não adulterarás? Não furtarás? Não mentirás?”

No judaísmo, há uma tendência de confundir ritual religioso com mandamentos morais, referindo-se aos dois como “mitsvot”. Substituir mandamentos morais por mandamentos de ritual esvazia os mandamentos de seu poder moral.

A seguir, alguns textos bíblicos que descrevem uma diferença entre mandamentos morais e mandamentos de ritual:
Números 15.39-40: Borlas nas vestes não são um mandamento moral em si, mas um lembrete simbólico para que se obedeça aos mandamentos morais.

Jeremias 7.4-5, 22-23: Deus não ordenou a Israel na antiguidade a respeito de sacrifícios, mas que obedecesse aos seus mandamentos e praticasse a justiça.

Romanos 2.27; 1 Coríntios 7.19: Circuncisão não é um mandamento moral, mas um lembrete da aliança que inclui mandamentos morais.
Como judeus messiânicos em Israel e cristãos em todo o mundo que estão descobrindo, de maneira semelhante, suas raízes judaicas, podemos guardar os elementos simbólicos e ritualísticos das alianças, mas devemos tomar muito cuidado para não confundir o simbólico com o moral.
Vamos restaurar o poder moral da mensagem do Evangelho que estabelece um exemplo de integridade e desafia o mundo em relação aos seus valores imorais.

Nova Aliança na Knesset

Na semana passada, Michael Ben-Ari, membro da Knesset (Parlamento israelense) por um partido religioso da direita, fez manchetes ao rasgar as páginas do Novo Testamento diante das câmeras. Ele justificou sua ação ao condenar a atividade “missionária” e afirmar que “milhões de judeus foram assassinados no nome do Novo Testamento; este livro revoltante instigou massacres de judeus na Inquisição [da Espanha] e durante toda a História”. O comentário dele revela um pouco da atitude de muitos judeus ortodoxos em relação ao cristianismo.

A Sociedade Bíblica Israelense, dirigida por Victor Kalisher, havia enviado 120 exemplares da Bíblia Hebraica completa, com Velha e Nova Alianças, a todos os membros da Knesset.

Victor respondeu à crítica assim:
Enviamos as Escrituras, com notas de referência, acompanhada por uma carta educada. Essa edição das Escrituras apresenta claramente a conexão entre a Tanakh [Antigo Testamento] e a Nova Aliança, provendo assim uma ferramenta útil para que os membros da Knesset compreendam o ponto de vista das organizações cristãs com as quais mantêm contato e saibam refutar preconceitos em relação ao conteúdo e significado desse livro.

Quando fui entrevistado pela mídia, optaram por ignorar a maioria dos parlamentares que nos agradeceram pelo livro e focaram apenas nos poucos membros da Knesset que fizeram um alvoroço.  


Terror na Bulgária e no Colorado

Dois ataques traiçoeiros e assassinos aconteceram na semana passada, um em Burgas, na Bulgária, onde um ônibus de turistas israelenses foi explodido quando saía do aeroporto por um homem-bomba jihadista islâmico, que tinha ligações com o Irã. Cinco israelenses foram mortos (além de duas pessoas de outras nacionalidades) e dezenas feridos. O segundo ataque ocorreu dentro de um cinema em Denver, no Colorado, EUA, onde um psicopata começou a atirar, matando 12 pessoas inocentes e ferindo 58.

O primeiro ataque foi feito por um jihadista; o segundo por um psicopata. Ambos foram demoníacos.


Revive Israel Online

Se você ainda não acessou, não se esqueça de conferir os últimos ensinamentos de Asher na página exclusiva do YouTube do Ministério Revive Israel:

http://www.youtube.com/user/ReviveIsraelTV

Também, não se esqueça de “curtir” nossa página no Facebook:

http://www.facebook.com/reviveisraelmedia


Voltar para artigos 2012