Voltar para Artigos


logo

Dinheiro e Ministério
©10 de outubro Por Asher Intrater

O relacionamento entre dinheiro e ministério é muito sensível. Vamos ver algumas questões:

Senhorio

Nós nunca fazemos nada no ministério para obtermos dinheiro. Yeshua disse, “Você não pode servir Deus e Mamom” – Mateus 6:24. Claro que precisamos de dinheiro para a obra do Senhor, e Deus sabe disso. Ele proverá. Não devemos preocupar nunca (Mateus 6:25). Ainda assim os motivos que temos para servir ao Senhor nunca é fazer lucro.

Sem Mercadejar

Então, nós não podemos tratar a palavra de Deus e a unção do Espírito Santo como um produto a ser vendido. Isso não é mercadoria. “Nós não estamos, como muitos outros, mercadejando a palavra de Deus” – II Coríntios 2:17. Nós temos que ser bons mordomos e agir como bons profissionais de negócios falando do nosso trabalho, porém não devemos ver o poder de Deus como algo a ser vendido. “O teu dinheiro seja para contigo para perdição, pois julgaste adquirir, por meio dele, o poder de Deus” – Atos 8:20. A habilidade sutil de manipular as manifestações da graça de Deus como um truque para gerar ofertas é má na sua raiz (I Timóteo 6:10).

Fé para Dar

Enquanto crescemos em fé, Deus nos ensina a confiar Nele e que Ele pode dar mais e mais para ajudarmos outros. Yeshua de propósito colocou seus discípulos em um teste. Havia 5,000 homens presentes, mais mulheres e crianças. O povo precisava de comida. Yeshua disse a seus discípulos, “Daí-lhes vós mesmos de comer” – Mateus 14:16. Deus demandou que eles mudassem suas identidades de recebedores para doadores, de serem pessoas necessitadas a serem provedores de necessidades. Há provisão sobrenatural na fé.

Recentemente eu senti Deus limitando minha fé para poder prover as necessidades do nosso ministério. Ele queria que nossa equipe de trabalho e membros de equipe crescessem em fé. Após orar, eu disse a eles, “Agora vocês começarão a ter fé para dar e prover.” Isso é parte de discipulado. Enquanto aprendemos a dar, Deus proverá. Após eles terem alimentado os 5,000, Ele disse a eles para ajuntarem as sobras. Havia 12 cestos que sobraram – o suficiente de um cesto para cada discípulo. A economia de Deus esbanja o dar, e ainda assim é frugal nas despesas.

Pagando Impostos

Pagar impostos ao governo é muito caro e às vezes parece ser um desperdício do dinheiro de Deus. Contudo, nós somos instruídos a pagar impostos como sinal de nossa fé em Deus (Romanos 13:6). Os serviços de impostos não se incomodam pelo fato que uma pessoa faz muito dinheiro.  Pelo contrário – eles simplesmente querem uma porcentagem do salário.

Yeshua instruiu Pedro a receber uma provisão sobrenatural de dinheiro para pagar o imposto religioso no Templo através de tirar o dinheiro da boca de um peixe. (Mateus 17:27). Ele também instruiu todas as pessoas a pagarem o imposto secular ao governo. “Dê a César o que é de César; e a Deus o que é de Deus” – Mateus 22:21.  Nós temos que fazer distinção entre Deus e César. Aqueles que têm dinheiro não são necessariamente mais espirituais. Por outro lado, nós não podemos espiritualizar o dinheiro demais. Nós temos que pagar contas; nós temos que pagar impostos. Os rabis têm uma expressão, “Sem pão (farinha), não há Torá; e sem o Torá, não há pão” – Pirke Avot 3.

Mantendo Registros

Houve momentos na história de avivamentos e abundância, onde manter registro de cada despesa não era necessário (II Reis 22:7). Porém, no nosso mundo de hoje, há muita suspeita e muita pressão financeira. Nós temos que ser diligentes em manter registros corretamente. O processo de manter registros é o que demonstra integridade. “Evitando, assim, que alguém nos acuse em face desta generosa dádiva administrativa. Pois determinamos agir com integridade, não só perante o Senhor, como também diante dos homens” – II Coríntios 8:20-21. Nós propomos mostrar nossa moralidade, não só diante de Deus, mas também diante dos homens.

Não Seja Ofendido

Uma das razões que Judas traiu a Yeshua, foi que ele viu Miriam de Betânia derramar perfume caro sobre Yeshua. Ele achou que era um desperdício. Ele ficou ofendido (e também roubava dinheiro). Esta ofensa ativou a traição (Matheus 26:14). Não se deixe cair na mesma armadilha.  

Não Compare

O comparar salários e benefícios pode causar ciúmes e raiva. “Porque que aquela pessoa recebe mais do que eu? Eu trabalho mais duro que ela.” Yeshua falou sobre esta questão na parábola dos trabalhadores contratados. Alguns trabalharam mais horas. Eles esperavam mais dinheiro. Eles ficaram ofendidos porque não receberam mais. Yeshua respondeu, “Amigo, não te faço injustiça: não combinaste comigo um denário? Porventura, não me é lícito fazer o que quero com o que é meu? Ou tens inveja porque sou generoso?” – Mateus 20:13-15. A atitude “Eu mereço isso” não é apropriada quando aplicada no serviço ao Senhor. O que nós temos é pela Sua graça. Um aspecto do arrependimento é estar satisfeito com o nosso salário (Lucas 3:14).

Riqueza das Nações

Existem promessas incríveis na Bíblia sobre prosperidade. Há profecias que “a riqueza das nações” virá a nós. (Isaías 60:5; 60:9; 60:11; 60:16; 61:6; Zacarias 14:14) . Por que Deus iria querer trazer a riqueza das nações a nós? Não para nós vivermos em luxo. A riqueza das nações virá a nós para que possamos levar o evangelho às nações. Nossa motivação não é PEGAR a riqueza das nações, mas USAR ela. Nós não desejamos tomar o dinheiro deles, mas dar salvação a eles. Nós temos que aumentar nossa fé para dar, nossa fé para receber, e nossa fé para o reino de Deus.