Voltar para Artigos


logo

O Evangelho aos Mulçumanos
©29 de agosto Por Asher Intrater

Há um ensino popular no mundo Mulçumano hoje que Maomé é mencionado na Bíblia Hebraica (Tanakh). A aparição de Maomé no Tanakh daria autoridade na visão deles de que ele é o último e o maior profeta, sobressaindo assim o Judaísmo e o Cristianismo. Eu fui entrevistado na Al Hayat TV sobre este assunto.

No livro de Cantares de Salomão 5:16, a Sulamita diz às filhas de Jerusalém que seu amado é “desejável.” A palavra usada aqui em Hebraico é “Makhmadhim.” A raiz “khamad” é a mesma raiz do nome “Mukhamad.” A raiz significa desejável. É também a raiz da palavra nos Dez Mandamentos, “Não cobiçarás.” No Hebraico moderno, a palavra “Khamud” é um comum apelido entre amigos e namorados, significando, “meu doce.”

Os Mulçumanos dizem que a palavra em Cantares de Salomão é a forma plural do substantivo de honra referindo ao seu profeta. A palavra de fato é a forma plural do substantivo, mas claramente não se refere a ninguém; ela claramente está descrevendo o caráter do amado no poema. Essa palavra é paralela ao substantivo que vem antes dela, dizendo que a boca do amado é “doce.” O original Hebraico tem as duas formas do substantivo no plural, “coisas doces” e “coisas desejáveis.”

Eu mencionei que é bom que os Mulçumanos, Judeus e Cristãos igualmente se refiram ao texto do Tanakh, desde que de fato este deveria ser a fonte original de autoridade para as três religiões. Cantares de Salomão foi escrito aproximadamente 1,000 anos antes de Yeshua (Jesus), e 1,600 anos antes do tempo de Maomé.

Por trinta anos eu tenho me envolvido em conferências de reconciliação com Árabes Cristãos. O meu sonho tem sido que nós fossemos além do que somente reconciliar e que começássemos a cooperar no compartilhar do evangelho e no avançar do reino juntos. 

Há uns 10 anos eu estava agendado para pregar em uma conferência de reconciliação na Jordânia. Eu disse aos organizadores que eu queria pregar em Hebraico. Eles disseram que seria muito difícil fazer a tradução. Entretanto, alguns Pastores Árabes do Iraque ouviram a conversa e correram para dizer que eles queriam ouvir o evangelho em Hebraico.

Naquele momento uma revelação foi gerada no meu coração. Existem muitos sentimentos intensos entre Árabes em relação ao povo Judeu. Devido à doutrinação dos Jihads, muitos desses sentimentos são extremamente antagônicos. Eu creio que esta obsessão possa ser usada por Deus para o bem. Para Mulçumanos Árabes ouvirem o evangelho pregado a eles por um Judeu, de Israel, em Hebraico (com tradução ou legendas) seria uma experiência cativante e transformadora.

Nós desejamos compartilhar o evangelho com Mulçumanos. Nossos esforços primários têm sido em apoiar evangelistas Árabes que arriscam suas vidas para pregarem as boas novas ao seu próprio povo. Eles fazem mais do que nós jamais conseguiríamos. (Nós agradecemos muito a Deus por colaboradores como Harun, Bassam, Zach, Jack, Samir, Victor, Amir e muitos outros.) O tempo chegou para que a mensagem de amor e salvação, casada com uma reconciliação racial, continue indo dos Árabes aos Judeus, e dos Judeus aos Árabes.

Aqui está o resumo da segunda mensagem que eu gravei semana passada com nossos amigos na Al Hayat TV (-nós esperamos que isto seja apenas o começo):

“Por séculos existe uma inimizade entre nossos povos. Só existe uma maneira de escaparmos deste ciclo de ódio; isso vem de Yeshua o Messias. Ele ensinou: “Ame seus inimigos, e ore pelos que te perseguem” – Mateus 5:44.  Ele é a única pessoa na história a ensinar este tipo de amor.

Ele não somente ensinou esse amor, Ele o viveu. Ele entregou Sua própria vida na cruz para perdoar nossos pecados e para quebrar o ciclo de ódio. Alguém tinha que dar o primeiro passo. O ato de amor sacrifical de Yeshua foi esse primeiro passo. Isso foi uma intervenção de Deus buscando parar o ciclo de ódio e começar o ciclo de amor. Na cruz, Yeshua orou, “Pai, perdoe-os; pois eles não sabem o que fazem” – Lucas 23:34.

Aqueles de vocês com um passado Mulçumano podem dizer que é proibido a vocês crer em Yeshua como o filho de Deus. Mas também é proibido a nós como Judeus crer nEle. Ainda assim hoje existem milhares de Judeus e Mulçumanos que encontraram salvação e reconciliação através de Yeshua o Messias. Através dEle nós podemos nos tornar em irmãos e irmãs espirituais em amor.

Se você quer sair do ciclo de ódio, há um caminho. Eu não posso determinar por você o que você quer. Eu não posso fazer você querer escapar deste ódio. Mas aqueles de vocês que QUEREM sair do ódio, eu tenho boas notícias para você: HÁ UM CAMINHO. Yeshua é este caminho (João 14:6). O ódio é uma forma de escuridão espiritual. Yeshua é a luz do mundo (João 1:5,9).

Todos dizem que querem paz. Mas um tratado de paz sem amor nunca obterá sucesso. Até que o ódio seja arrancado dos nossos corações, não pode haver paz. Apenas o amor sacrifical de Yeshua na cruz pode remover o ódio. Nós temos que fazer uma distinção entre causa e efeito. A Paz é o efeito. O Amor é a causa. Yeshua é a fonte do amor verdadeiro de Deus.

Nós estendemos nossas mãos a você no nome de Yeshua. Venha a Ele e encontre perdão, vida eterna, amor divino – e até reconciliação entre Judeus e Árabes.”

Por favor, ore por todos que estão compartilhando o evangelho com os Mulçumanos. Isto é um mandato crítico nesta geração. Ore para que o evangelho de salvação e reconciliação vá em frente entre Judeus e Árabes da mesma forma.