Voltar para Artigos


logo

©22 de junho de 2010 Por Asher Intrater

Os Haredims Vão as Ruas

Na tarde de Quinta feira (17 de Junho), 100,000 haredims (Judeus ultra-Ortodoxos) em Jerusalém e 50,000 em Tel Aviv (Bnei Brak) fizeram um protesto em uma demonstração de mobilização e poder bastante impressionantes. O Supremo Tribunal de Justiça de Israel havia decidido que as escolas religiosas no povoamento “Emanuel” era culpada de discriminação racial contra os alunos Sefarditas. Quando as escolas e os pais recusaram a retificar à situação, eles foram acusados de desacato a autoridade do tribunal. Os pais receberam uma sentença de 14 dias na cadeia, que começaria na Quinta feira.

Os ultra-Ortodoxos reagiram contra o direito de jurisdição contra eles do Tribunal Supremo. Na verdade, eles responderam com alegria a esta oportunidade dada aos pais de irem à prisão “pela sua fé”. Os ultra-Ortodoxos foram as ruas vestindo suas roupas pretas mais festivas, com cartazes dizendo: “Não toque o Meu ungido”, “Mártires pela causa do Céu”, e “O Torá é nossa autoridade, não o Supremo Tribunal de Justiça.”

O que os ultra-Ortodoxos querem dizer com Torá não é a Bíblia ou a Lei de Moisés, mas sua própria autoridade de rabi. Este choque entre o Supremo Tribunal de Justiça e os ultra-Ortodoxos representa a maior separação entre o religioso e o secular. Um jornal Hebraico referiu a isso como uma guerra civil entre “Judá” e “Israel”. [Os religiosos se identificam mais com os termos “Judeus” e “Judaísmo”, e menos como cidadãos do Estado de Israel. Os seculares já se identificam com o oposto]

As alegações dos ultra-Ortodoxos neste protesto apresentam uma esquisita e infeliz perversão do relacionamento entre religião e estado. Isto me lembra da pergunta que os ultra-Ortodoxos dos Seus dias propuseram a Yeshua (Jesus): “Você paga impostos a César?” A qual Yeshua respondeu, “Dê a César o que é de César, e a Deus o que pertence a Deus” – Mateus 22:21.

A direção tomada pelo publico de Israel se encontra entre extremistas seculares hedonistas ateus de um lado e um extremistas religiosos manipulativos legalistas do outro lado. È interessante notar que ambos os seculares extremistas e os religiosos extremistas são “anti-Sionistas” em sua cosmo visão.


A Conferência Tikkun America 2010
©22 de junho de 2010 Por Troy Wallace

A Conferência Tikkun America possibilita que Judeus Messiânicos e crentes Gentios se reúnam uma vez por ano e recebam transferência de unção de líderes do Corpo de Israel e de outras partes do mundo. Este ano tivemos a oportunidade de ouvirmos Dan Juster, Asher Intrater, Eitan Shishkoff, Paul Wilbur e Jack Hayford dentre outros.

No decorrer da semana, ficou claro que esta é uma “estação de mudanças” enquanto nos aproximamos do “grande e maravilhoso dia do Senhor” (Joel 2). Dan encorajou os líderes a intencionalmente desenvolverem comunidades que são fortes nos compromissos da aliança para que a fé e o amor, em união, possam nos sustentar nos dias que estão por vir. Eitan nos exortou a chacoalhar o desanimo e a nos manter firmes na fé mesmo com os erros e tristezas do passado. Paul nos encorajou que mesmo que os tempos estão ficando mais escuros, que a Luz do Senhor continua a brilhar ao redor do mundo, até mesmo em países Mulçumanos como o Kuwait e Dubai. Asher orou para que os nossos corações fossem despertados para “as proporções Bíblicas” de limites que temos ultrapassado no cenário geopolítico de hoje. Jack Hayford compartilhou conosco uma visão de seguir a Jesus, individualmente e em comunidade, mesmo se a situação a que Ele nos leva adentro apareça menos que o nosso ideal

Outro tema que surgiu enquanto estávamos reunidos foi a importância de refletir sobre o valor de relacionamentos e história. Esta foi a primeira reunião Tikkun em muitos anos desde que Asher, Dan, Eitan e Paul estavam todos juntos compartilhando seu tempo com o Corpo nos EUA. Estes quatro homens ainda continuam a definir o curso da Tikkun Internacional devido a seu relacionamento há quase 30 anos. Cada um deles tomou tempo precioso para refletir sobre sua história pessoal e de seu ministério. Vamos nos lembrar que “o testemunho de Yeshua é o espírito da profecia” (Ap 19:10)


A Nuvem e o Maná:
©22 de junho de 2010 Por Eddie Santoro

A liderança sobrenatural e a provisão de Deus irá nos ajudar alcançar a Terra Prometida nas nossas vidas.

As porções do Torá deste mês tem haver com as viagens de Israel no deserto citadas no livro de Números. Tomando em contas as medidas naturais, sua situação era impossível, mas o sucesso da jornada não dependia do natural e sim do sobrenatural.

Na frente estava um pilar de nuvem maravilhoso durante o dia e de fogo a noite na qual habitava a própria presença de Deus. Quando a nuvem se movia, Israel a seguia. Levaria quarenta anos, mas aquela presença, cheia de amor infinito os lideraria ao seu destino. E o mesmo Deus que os lideraria também supriria todas as suas necessidades. Suas sandálias não desgastariam, água fluiria de rochas e maná seria provido dos céus.

Há vários dias atrás em oração, o Senhor me mostrou como nossa situação como crentes da Nova Aliança é como a de Israel a tanto tempo atrás. Nós também temos a “terra prometida” que viajamos em direção, mas não sabemos como chegar lá. E como Israel, aquilo que possuímos no natural é muito aquém do que precisamos para conquistarmos o poderoso chamado que Deus nos deu.

Mas em Jesus nós também temos uma nuvem que no guia. O Espírito de Deus não somente colocou um destino final nos nossos corações, mas Ele é fiel para nos guiar em cada passo do caminho. E mesmo que no natural nós somos fracos e necessitados, o Seu poder irá prover todas as nossas necessidades. Ele colocou Sua própria vida dentro de nós pela qual podemos fazer todas as coisas.


Voltar para Artigos 2010